Traição: Será Que O Fato de Trair é Genético

Traição: Será Que O Fato de Trair é Genético   

Uma curiosa pesquisa americana põe em dúvida uma leve e delicada questão: a da traição.Será que o fato de trair é genético?

Segundo dados de uma pesquisa americana  casais humanos assim como os animais são geneticamente infiéis, e que a verdadeira monogamia é muito rara.Será que isso é verdade mesmo?

O estudo de dois cientistas norte americanos defende que na natureza trair é a regra, tanto pássaros, quanto pulgas, quanto humanos todos eles são infiéis.Segundo os cientistas a verdadeira monogamia é muito rara. No caso dos mamíferos então a verdadeira monogamia com um desejo por um parceiro exclusivo é algo praticamente impossível, rara em todos os sentidos. Entre as aves, em algumas espécies os dois tanto macho quanto fêmea precisam dar a cada 15 segundos insetos para seus filhotes, mas com a análise do DNA essas espécies que eram consideradas um exemplo de monogamia, hoje já podem ser descartadas, uma vez que muitos dos filhotes que estão nos ninhos  pertencem a diferentes pais.

Nesse caso é preciso separar a monogamia social o casal que cuida da prole em conjunto , comum entre aves e pessoas, e a monogamia sexual- o par exclusivo e fiel.  No caso dos mamíferos a monogamia é rara em qualquer forma. Existem vários tipos de arranjos polígamos. No caso dos babuínos, um macho costuma impor seu poder sobre os demais, construindo assim um harén onde possui várias fêmeas, isso não impede que uma fêmea se sinta com desejo de se acasalar com outro macho, o dono do háren ao perceber a intenção da fêmea traidora a reprime com várias mordidas no pescoço.

Entre as éspecies de escaravelho -enterrador, um macho transmite os feromonios, no caso sua poção do amor para atrair fêmeas. Quando os dois se acasalam, a fêmea percebendo a intenção do macho de transmitir sua poção do amor para atrair novas fêmeas, corre atrás dele o mordendo e empurrando de maneira forte para que não transmita os feromonios.Os cientistas fizeram uma avaliação de qual resultado teria se prendessem a fêmea na hora final do acasalamento.Com a fêmea presa o macho folgazão sentiu-se a vontade para transmitir sua poção do amor, e com isso foi recompensado com várias outras namoradas.

No caso do  ser humano ele até pode manter um só parceiro sexual por toda a vida, mas esse é um comportamento que custa quase tanto esforço quanto o celibato absoluto. Segundo a ciência o desejo da variedade sexual foi incutido no homem e em grau menor na mulher, mas a pesquisa do mito da monogamia afirma que ambos são infieis, mas que as femeas são mais seletivas na hora da escolha do parceiro de CEP´S no caso a cópula extrapar.

Modelos Comportamentais

Mais ou menos fiel  

Comportamento: Monogamia Social, formam-se casais que cooperam na criação dos filhotes, mas que pulam a cerca ocasionalmente

Frequencia: É o comportamento mais comum entre as aves.

Exemplo: O casal de andorinhas constrói seu ninho em conjunto , mas o macho costuma vigiar a fêmea em seu periodo féritil , para evitar que ela dê suas escapadas.

Fiel Mesmo

Comportamento: Monogamia social, o animal tem relações sexuais com um único parceiro a vida toda

Frequencia: Extremamente raro.

Exemplo: Há uma espécie de macaco fiel, essa o faz pois não possui opção.No caso do verme Diplozoon paradoxum , um parasita dos peixes , o macho se encontra a fêmea, mas não há como haver traição pois os corpos dos dois se fundem.

Harén

Comportamento:  Poliginia , um macho mantém relações com várias fêmeas.

Frequencia: É o arrnajo mais comum na natureza.

Exemplo: Gorilas mais fortes impões sua vontade sobre outros machos, mantendo haréns com 3 ou 6 fêmeas.

Uma outra pesquisa polêmica é do médico da Universidade Cornell Stephen Emelen. Para ele existem dois tipos de monogamia como citado anteriormente: a genética e a social.No primeiro caso a monogamia é uma excessão, só existe uma espécie de macaco fiel.O resto todos são infieis. A justificativa para a monogamia humana apresentada por ele é a de que o casal esta unido com um objetivo definido: cuidar dos filhos. Especialistas afirmam que a monogamia existe graças ao mito de que espécies cujas proles vivam com pais casados vivem melhor, seria uma justificativa da monogamia humana segundo Emlen e outros especialistas.

Ao final do livro ” O  Mito da Monogamia” o casal David Barash e Jud Lipton autores do livro, dizem que muitas vezes a questão comportamental é capaz de superar a biologia, afinal de contas eles são casados e se dizem monogâmicos.

Entrevista dos autores do livro ” O Mito da Monogamia”  a televisão:

Anúncios